TENDÊNCIAS E HÁBITOS ALIMENTARES DA GEN Z: COMO ELES GOSTAM DE COMER?

TENDÊNCIAS E HÁBITOS ALIMENTARES DA GEN Z: COMO ELES GOSTAM DE COMER?

Close Up Of Woman Taking Picture Of Delicious Burger Using Smart Phone

Cada geração tem sua própria opinião sobre comida, e a Geração Z não é diferente. Essa Geração é a que veio depois da geração do milênio, que inclui qualquer pessoa nascida entre 1997 e 2012. Ou seja, os membros da Geração Z variam de 10 a 25 anos. Eles já representam mais de um terço da população do país. E mais importante para os fabricantes de alimentos, eles têm um poder de compra significativo, estimado em mais de R$ 800 bilhões nos próximos anos. Para que os alimentos atraiam essa geração, devemos entender seus hábitos e preferências alimentares. 

A seguir temos uma lista desses hábitos e tendências mais notáveis que você deve conhecer para compreender melhor essa geração, que certamente moldará nossa alimentação no futuro.

SÃO INDEPENDENTES E AUTOSSUFICIENTES
A cultura doméstica da Geração Z geralmente envolve lares com uma rotina cheia, e vida corrida, onde ambos os pais trabalham, e muitas vezes em jornada dupla de trabalho. E por sua vez, os filhos costumam ter uma agenda pesada entre estudo e atividades extracurriculares, e esses fatores acabam tornando as crianças da Geração Z mais autônomas. Como resultado, eles são mais confiantes na cozinha do que os millennials. Eles tendem a ver a preparação de alimentos como uma habilidade de vida acessível, disponível para qualquer pessoa com conexão à internet. Qualquer receita é apenas um vídeo do YouTube de distância.

ESTÃO OCUPADOS MAS QUEREM COZINHAR COM MAIS FREQUÊNCIA
Livre da intimidação da preparação de alimentos e do pensamento anterior, onde cozinhar ou ajudar na cozinha era uma obrigação chata, a Geração Z dá as boas-vindas à atividade. 53% da Geração Z gosta de cozinhar. 26% fazem a maior parte de sua própria comida, e 71% “adorariam aprender a cozinhar mais”. Ovos, massas, arroz, legumes, biscoitos ou brownies, panquecas, bowls estão no topo de sua lista de favoritos. Mas uma agenda lotada pode deixar essa geração assistindo mais vídeos de culinária do que de fato cozinhando.

ELES ESTÃO MENOS PREOCUPADOS EM ENCONTRAR OPÇÕES “SAUDÁVEIS”
Além disso, ao contrário dos millennials, a Geração Z ainda está menos preocupada com a saúde e o bem-estar. Embora tenham uma formação mais rica em educação em saúde e bem-estar, o impacto de certos grupos alimentares e a pegada ambiental, a alimentação saudável é menos prioritária (por enquanto). Eles são mais propensos a procurar sabores indulgentes e experiências gastronômicas divertidas.

AS REFEIÇÕES TRADICIONAIS SÃO COISA DO PASSADO
Uma combinação de um estilo de vida agitado e exposição na internet a um universo alimentar diversificado e sofisticado fez com que a Geração Z abordasse a alimentação e as escolhas alimentares de maneira diferente. As refeições tradicionais perderam o seu significado. Flexibilidade para comer quando e onde quiserem é preferível a um horário de jantar rígido. Isso muda a própria natureza das refeições. Os alimentos prontos substituem as refeições tradicionais. O lanche tem preferência. Essa geração é 53 vezes mais propensa a consumir lanches como refeições anualmente.

ESTÃO DISPOSTOS A TENTAR COISAS NOVAS
Enquanto comem com pressa, sempre prontos para sair, a Geração Z não perdeu o gosto por algo diferente. A popularidade do movimento gastronômico tornou a Geração Z mais experimental. Eles estão dispostos a experimentar opções de comida desconhecidas e veem a culinária internacional como um aceno para a diversidade. Mais significativamente, a Geração Z está disposta a pagar mais por alimentos de maior qualidade. Eles veem comer comida barata como um estigma social.


COMO OS FABRICANTES DE ALIMENTOS DEVEM LIDAR COM ESSE MOVIMENTO?


Combinar alta qualidade e conveniência com diversidade de sabores é a tríade estratégica para qualquer produtor de alimentos voltado para a Geração Z. Os desenvolvedores de ingredientes precisam “entrar nessa dança” e redefinir o equilíbrio perfeito que agrada a essa geração de consumidores.

CRIANDO OFERTAS “FÁCEIS DE PREPARAR”
Os produtores devem oferecer refeições premium com preparação rápida e fácil para atrair a Geração Z. Os desenvolvedores de ingredientes podem criar produtos e alimentos prontos que tenham os mesmos sabores tentadores dos pratos caseiros que esses consumidores faziam (ou sonhavam em fazer) eles mesmos quando tinham tempo.
Ao expandir a “paleta”, os produtores de alimentos podem aproveitar todas as tendências alimentares regionais e internacionais que a Geração Z está seguindo nas redes sociais.

CRIANDO OFERTAS SAUDÁVEIS, MAS SABOROSAS
Embora ainda haja menos preocupação com uma alimentação saudável entre a geração, sua educação em saúde está sempre muita viva em suas mentes. Um produtor de alimentos inteligente pode oferecer sabores e experiências gastronômicas excepcionais, ao mesmo tempo em que se aproveita do benefício “é bom para você”. Dar “check” em todas as caixas (de saúde e sabor) oferece o que a Geração Z sabe que é importante e o que eles desejam em um produto ao mesmo tempo.

Desenvolvedores de ingredientes especializados também podem ajudar os produtores com uma abordagem de benefícios à saúde. Eles podem amplificar todo o sabor dos produtos saudáveis já existentes. Pensar em aumentar as notas de especiarias de um refogado vegano pronto para comer. Eles também podem modular os benefícios para a saúde em pratos salgados, como a redução do sódio em um burrito de microondas ou do macarrão instantâneo.

Para os produtores de alimentos, a receita é simples: dê bem-estar e sabor à geração Z juntos para que eles não precisem priorizar. Concentrar-se em novas opções satisfatórias de lanches rápidos em vez de refeições sentadas. Mais importante ainda, explorar as opções de sabor além do sem graça. Os perfis de sabor da culinária mundial podem ser ajustados em alimentos do dia a dia com a formulação correta dos ingredientes.