O que é a arte de arranjos florais Ikebana?

O que é a arte de arranjos florais Ikebana?

A Ikebana, também conhecida como Kado, é uma arte de composição floral japonesa que segue regras e simbolismos preestabelecidos.
Em japonês, o termo quer dizer tanto “trazer flores à vida” quanto “arranjo de flores”. A outra denominação, Kado, significa “caminho das flores”.

Técnica
A estrutura clássica dos arranjos se baseia em três pontos principais, que simbolizam céu terra e homem (Tai-Yo-Fuku), e utiliza não apenas as flores, mas também galhos, folhas, sementes e frutos.
No processo, as flores são fixadas em um “kenzan” (uma base com inúmeras cerdas pontiagudas), que fica em um recipiente cheio de água. A composição é feita para durar pouco: em cerca de 24 horas começa a murchar.

Porém, engana-se quem pensa que sua brevidade é vista como uma fraqueza; ela é uma das virtudes da Ikebana. Como em muitas outras artes orientais, o caminho importa mais que a chegada.

Estilos
São muitos. Alguns dos mais conhecidos são:

Hana Isho
Uma modalidade livre e mais simples de Ikebana e, portanto, mais recomendada para iniciantes. Pelo tamanho reduzido, adapta-se a pequenos espaços.

Moribana
Um dos estilos mais praticados, significa “flores empilhadas”. Usa uma base plana e rasa, conhecida como suiban, que forma um espelho d’água.

Hanamai
Explora a beleza das plantas através de sua interação com o espaço. Não há distinção entre o material principal e os materiais auxiliares, que podem ser no máximo dois.

Heika
Quer dizer, literalmente, “flores de vaso”. Usa recipientes mais altos e fundos.

Rimpa
Baseia-se nas pinturas decorativas da escola Rimpa, do Período Edo. A ideia é reproduzir a atmosfera destas obras em arranjos florais.

Bunjin
Os chamados “arranjos de literatos”, criados por intelectuais japoneses. Na verdade, o termo bunjin é chinês e se refere a estudiosos aposentados, que costumavam levar uma vida simples, apreciavam a poesia e a pintura e colecionavam itens como bonsais e pedras de formatos estranhos. Na época, os arranjos eram livres, integrando frutas, pedras e pequenas esculturas de insetos.

Fonte: Domestika